As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

OESP, Vida, p. A18
11/09/2012
Quatro incendios atingem areas de preservacao em SP

Quatro incêndios atingem áreas de preservação em SP
Desde sábado, foram queimadas matas nas regiões de Jundiaí, Piracicaba, Sorocaba e São Carlos

Ricardo Brandt
José Maria Tomazela

O calor e o tempo seco no interior de São Paulo têm contribuído para a ocorrência de queimadas. Desde sábado, pelo menos quatro grandes incêndios em áreas de preservação e de estudos foram registrados nas regiões de Jundiaí, Piracicaba, São Carlos e Sorocaba.
Na madrugada de ontem, o fogo destruiu uma área de 100 mil metros quadrados de mata no entorno da Serra do Japi, em Jundiaí (SP). A Divisão Florestal da Guarda Municipal passou a madrugada tentando combater as labaredas que destruíram a vegetação dentro de uma área de preservação ambiental.
O chefe da Divisão Florestal da Guarda Municipal, Paulo Soares, disse acreditar que o incêndio tenha sido um ato de vandalismo. "Tudo leva a crer que foi uma queimada provocada, porque ela começou em dois focos", afirma. Com apoio do clima seco, as chamas se alastraram rapidamente.
Também ontem, um incêndio atingia uma área de preservação permanente na zona rural de Piracicaba, próximo ao Horto Florestal de Tupi, às margens da Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304). O Corpo de Bombeiros, que foi chamado por volta do meio-dia, informou que pelo menos 20 hectares de mata foram atingidos.
Além dos bombeiros e da Polícia Militar Ambiental, o helicóptero Águia da Polícia Militar teve de ser acionado para combater as labaredas. Até o final da tarde de ontem, o incêndio ainda não havia sido controlado.
No fim de semana. Durante o final de semana, um outro incêndio atingiu áreas de mata da Floresta Nacional de Ipanema, uma unidade de conservação federal em Iperó, na região de Sorocaba. Essa área, de 6 mil hectares, é administrada pelo Instituto Chico Mendes.
As chamas estavam próximas de um sítio histórico, com remanescentes dos fornos construídos por Afonso Sardinha, no final do século 16, numa das primeiras tentativas de fundir o ferro em território brasileiro.
De acordo com a administração da unidade, o fogo começou no sábado, num canavial localizado no entorno do parque, mas se espalhou pela vegetação rasteira, atingindo a floresta.
Apenas na noite de ontem as chamas foram controladas. A floresta abriga mais de 20 espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção, como o lobo-guará e o urubu-rei.
Também no sábado, um incêndio destruiu uma área de pastagem da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Pecuária, em São Carlos. O incêndio começou em uma fazenda ao lado do terreno da Embrapa e se alastrou rapidamente.
O chefe da brigada de incêndio da Embrapa, César Antônio Cordeiro, informou que ainda não foram calculados a extensão da área atingida e os prejuízos.

OESP, 11/09/2012, Vida, p. A18

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,quatro-incendios--atingem-ar...