As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

O Eco - www.oeco.com.br/
11/06/2010
Novos parques na Bahia

Depois de insistentes pedidos de socorro dados por ambientalistas, o presidente Lula anunciou nesta quinta-feira a criação das unidades de conservação Refúgio de Vida Silvestre Boa Nova e do Parque Nacional de Boa Nova, que juntas somam cerca de 32 mil hectares de área protegida na Bahia.

Junto com a criação e ampliação do parque em Boa Nova, o governo federal também criou o Parque Nacional Serra das Lontras, que abriga 16 espécies de aves ameaçadas de extinção, além do Parque Nacional Alto do Cariri, na região de Guaratinga. Juntas estas áreas chegam a 38 mil hectares aproximadamente.

Dados da Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (Save Brasil) alertavam para a ameaça que ronda a biodiversidade dessa região no sudoeste baiano, considerada singular por abrigar dois biomas, a Mata Atlântica e a Caatinga. "Numa linha de 10km, é possível sair da caatinga, passar pela Mata de Cipó e chegar à Mata Atlântica" conta o diretor de Conservação da Save Brasil, o biólogo Pedro Develey. A ONG ligada a BirdLife International registrou em Boa Nova 396 espécies de aves, sendo que 14 estão ameaçadas de extinção, entre elas o gravatazeiro.

Os estudos que embasaram a criação das áreas tiveram como método priorizar as chamadas Áreas Importantes para a Conservação de Aves (Ibas, pela sigla da palavra em inglês). Pedro Develey conta que foram identificadas 8 mil Ibas no mundo todo. "No Brasil, priorizamos 237", destaca.

O Brasil está entre os três países do mundo com maior número de espécies de aves, existem 1.834, sendo que 122 se encontram sob ameaça de extinção, conta Develey. "O Brasil é primeiro lugar em termos de ameaça de extinção".

http://www.oeco.com.br/salada-verde/24042-parques-para-aves-ameacadas