As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

CBN - http://cbn.globoradio.globo.com/
16/01/2017
Ministerio recomenda revisao de plano de recuperacao da bacia do Rio Doce

Documento pede ao Comitê da Bacia do Rio Doce que os parques Nacional do Rio Doce e o Nacional Marinho dos Abrolhos sejam prioridade nas ações de recuperação dos impactos do rompimento da barragem da Samarco, em Mariana. CBN teve acesso com exclusividade ao material.

O Ministério do Meio Ambiente fez uma recomendação ao Comitê da Bacia do Rio Doce para que reveja urgentemente o plano de recuperação em vigor com o objetivo de ampliar os impactos das ações nas áreas afetadas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana.

O documento, ao qual a reportagem da CBN teve acesso, com exclusividade, pede que os parques Nacional do Rio Doce e o Nacional Marinho dos Abrolhos, no sul da Bahia, sejam prioridade nas ações.

O documento relata diversos problemas verificados nessas duas unidades. Entre eles, estão: a contaminação de cursos d'água, a intensificação do assoreamento do Rio Doce, a presença de lama dentro das unidades, o acúmulo de rejeitos na vegetação, mortandade de peixes, a contaminação de animais silvestres por metais pesados e o consumo de peixes mortos e contaminados por aves que habitam a região, interferindo na saúde desses animais.

O Ministério do Meio Ambiente pede ainda que os governos de Minas e Espírito Santo intensifiquem os esforços para restaurar as áreas afetadas que deverão ter formas mais eficientes de monitoramento.

Ao IBAMA, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, e à ANA, Agência Nacional de Águas, o Ministério determina que revejam os processos de licenciamento e outorga de recursos hídricos.

As recomendações, assinadas pelo secretário de biodiversidade de florestas do Ministério do Meio Ambiente, José Pedro de Oliveira Costa, foram baseadas em relatórios feitos pelo IBAMA, ANA e ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade.

A reportagem da CBN entrou em contato com as entidades mencionadas e, também, com a Fundação Renova, criada para reparar os danos causados pelo rompimento da barragem, e aguarda um posicionamento.

http://cbn.globoradio.globo.com/grandescoberturas/tragedia-em-minas/2017...