As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br
24/06/2011
Mais quatro Unidades de Conservacao ganham Planos de Manejo

Das 310 Unidades de Conservação federais (UC) geridas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiveridade (ICMBio), 106 possuem Planos de Manejo, representando cerca de 34% das UCs. Para avançar ainda mais nesta estatística, a autarquia responsável pela elaboração desses documentos, trabalha na elaboração de mais 74 Planos de Manejo que se encontram em diferentes fases de elaboração. A meta do Instituto é aumentar para 45% o número de Unidades de Conservação com Planos de Manejo até o final de 2011, o que representará 140 UCs com o documento.

Na última semana, os Planos de Manejo do Parque Nacional dos Campos Amazônicos, situado entre o Amazonas, Rondônia e Mato Grosso, e da Floresta Nacional de Jacundá, localizada em Rondônia, foram aprovados pelo ICMBio e publicados no Diário Oficial da União.

Para o coordenador de Elaboração e Revisão de Planos de Manejo do ICMBio, Carlos Henrique Fernandes, o plano do Parna dos Campos Amazônicos, por exemplo, foi feito dentro do prazo estipulado pela Lei 9.985/2000 (do Sistema Nacional de Unidades de Conservação-SNUC), contou com recursos do Programa Área Protegida da Amazônia (Arpa) e consultoria contratada para a elaboração. Já o Plano de Manejo da Flona de Jacundá foi elaborado por analistas ambientais do próprio ICMBio.

"Os Planos de Manejo seguiram três etapas e terão continuidade levando em consideração os seguintes critérios: diagnóstico, planejamento e implementação. O acompanhamento é rotineiro. É importante fazer o monitoramento, pois como o processo de gestão de uma Unidade de Conservação não é estática, e pode sofrer modificações, o Plano de Manejo em execução tem que acompanhar tais mudanças", explica o coordenador.

Além dos planos do Parque Nacional Campos Amazônicos e da Floresta de Jacundá, foram aprovados e publicados neste ano os Planos para os Parque Nacional Cabo Orange, no Amapá, das Florestas Nacionais de Trairão e Jamanxim, ambas no Pará, e das Reservas Extrativistas Iriri, no Pará, e Mandira, em São Paulo.

Fruto de parcerias envolvendo instituições e sociedade, os Planos de Manejos vem sendo elaborados segundo roteiros metodológicos e de acordo com a Lei 9.985/2000, do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). Esses documentos visam regulamentar as ações que podem ou não ser realizadas dentro das Unidades de Conservação federais, tendo como foco a conservação de seus ecossitemas e da biodiversidade existente nessas áreas protegida spor lei.

Plano de Manejo - Os primeiros Planos de Manejo elaborados no país foram feitos na década de 70. Parque Nacional de Brasília, no bioma Cerrado, Parque Nacional de Sete Cidades, situado no bioma Caatinga e Parque Nacional da Amazônia, no bioma Amazônia, estão entre as primeiras UCs a terem o documento.

No Plano de Manejo são determinados o zoneamento de uma Unidade de Conservação, caracterizando cada uma de suas zonas e propondo seu desenvolvimento físico, de acordo com suas finalidades. São levadas em consideração a categoria da UC além de aspectos de fauna e flora existente na área, por exemplo.

O objetivo do estudo é situar uma metodologia flexível e dinâmica que permita iniciar o processo de planejamento e propor ações. O Plano regulamenta ainda a ação de emergência em situações como incêndios florestais, invasões e monitoramento com instrumentos de controle.

http://www.icmbio.gov.br/comunicacao/noticias/4-geral/1295-mais-quatro-u...