As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br
15/12/2011
ICMBio apoia turismo comunitario em Reserva Extrativista

Produzir informações sobre as experiências de ecoturismo de base comunitária (EBC) nas reservas extrativistas (Resex) e definir diretrizes institucionais para a implantação de projetos com esse perfil nessas categorias de unidades de conservação (UC) foram os objetivos do seminário "Ecoturismo de base comunitária nas Reservas Extrativistas". O encontro foi realizado entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro, em São Luís, no Maranhão.

Promovido pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada aos Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o evento resultou na criação de um grupo de trabalho para propor diretrizes e subsidiar o ICMBio nas questões relativas ao turismo de base comunitária em UCs.

O grupo será composto por sete representantes, sendo dois das coordenações do ICMBio-Sede responsáveis pelo tema (Coordenação de Uso Público e Negócios e Coordenação de Populações Tradicionais), um do CNPT, dois de gestores de UCs Federais (Resex Unini e Resex Canavieiras, como suplentes Flona Tapajós e Resex Delta do Parnaíba) e dois representantes de comunidades tradicionais (Resex Soure e Flona Tapajós, como suplentes Resex Prainha do Canto Verde e Resex Unini).

O evento contou com a parceria da Coordenação Geral de Uso Público e Negócios e a Reserva Extrativista (Resex) de Cururupu e integrou o Projeto "Ecoturismo de base comunitária na Ilha dos Lençóis, Resex de Cururupu".

ABERTURA - A mesa de abertura do encontro foi composta pela Coordenação Geral de Uso Público e Negócios, Coordenação Regional 4-Belém/ICMBio (CR-4), e pelo CNPT. Na ocasião foi reforçada a importância de fortalecer o debate sobre o turismo de base comunitária no âmbito do ICMBio, constituindo um importante mecanismo de gestão do uso público nas reservas extrativistas.

A primeira parte do seminário foi organizada em painéis com palestras seguidas por debates. Os temas discutidos foram: conceitos sobre turismo de base comunitária; manutenção do modo de vida e da cultura das populações tradicionais; a visão das comunidades, dos gestores e parceiros das unidades de conservação (UC) e planejamento do EBC nas Resex.

Durante os painéis, os participantes destacaram a importância de estender o debate sobre o EBC para outras categorias de UC, mesmo tendo as Reservas Extrativistas como carro chefe. Na sequência, o coordenador Geral de Uso Público e Negócios, Ernesto Viveiros de Castro, realizou uma dinâmica que buscou definir os aspectos fundamentais para a conceituação do termo turismo de base comunitária nas unidades de conservação. O grupo definiu a gestão comunitária, transparência, partilha dos benefícios, conservação socioambiental, valorização da cultura local e vivências.

O seminário teve continuidade com a divisão dos participantes em dois grupos de trabalhos. O primeiro teve como objetivo estabelecer diretrizes para a elaboração de projetos de EBC nas Resex, tendo como resultado o estabelecimento de 14 etapas, além da definição de atores e procedimentos metodológicos mínimos em cada uma delas. O segundo discutiu os arranjos institucionais para a gestão do EBC nas Reservas Extrativistas com foco em três eixos: instrumentos de gestão das Resex; atribuições e responsabilidades; prestação de serviços de apoio ao uso público/visitação nas Resex. O resultado foi uma relação de desafios e atribuições de cada ator no processo (comunidade, Conselho Deliberativo e ICMBio) em cada eixo trabalhado.

OFICINA - Aproveitando os esforços realizados durante o Seminário de Ecoturismo de base comunitária nas Reservas Extrativistas, o CNPT e a Resex de Cururupu realizaram a oficina de trabalho para discutir o projeto de ecoturismo de base comunitária na Ilha dos Lençóis.

A oficina ocorreu entre os dias 1 e 2 de dezembro, em São Luís (MA), e contou com os participantes do Seminário de EBC e convidados locais, entre representantes da prefeitura municipal de Apicum-Açu, pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão e Pará, donos de pousadas e operadores de turismo locais.

No primeiro dia foram apresentadas informações sobre as Resex de Cururupu, os resultados do inventário participativo do potencial de ecoturismo da Ilha dos Lençóis e dados para uma proposta de turismo chamada "pesca acompanhada".

No segundo dia o grupo estabeleceu as prioridades de ações para a gestão do TBC na Ilha, destacando três eixos principais: infraestrutura básica, gestão de resíduos e criação de animais; infraestrutura e serviços de apoio ao TBC e beneficiários, usuários e agentes externos à Resex: como operar o TBC na Ilha.

O próximo passo será uma visita à Ilha no início de 2012 para dar continuidade as atividades para o planejamento do TBC.

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-geral/2434-icmbio...