As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

OESP, Vida, p. A25
20/12/2006
Deputados de MT derrubam veto e reduzem parque

Deputados de MT derrubam veto e reduzem parque

Eduardo Nunomura

Deputados de Mato Grosso transformaram em lei a redução de 27 mil hectares do Parque Estadual Cristalino, uma das unidades de conservação de maior biodiversidade da Amazônia. Na noite de anteontem, eles derrubaram o veto do governador Blairo Maggi (sem partido), que havia rejeitado a diminuição da área do parque numa tentativa de melhorar sua imagem de sojicultor inimigo da natureza.

Com a nova legislação o parque passará a ter 157.900 hectares e excluirá invasões e desmatamentos ocorridos após a sua criação, em 2000.

Por 18 votos a 5, os deputados estaduais restabeleceram o substitutivo que haviam aprovado, prevendo a redução do parque. No dia 6, eles rejeitaram um projeto de lei do governo estadual que delimitava o parque Cristalino numa área de 184.900 hectares. Propuseram, então, um parque 14% menor. Pressionado por ambientalistas, o governador Maggi decidiu, no dia 14, vetar integralmente a diminuição da área da unidade de conservação. Anteontem os deputados deram o troco.

Os parlamentares alegam que a nova delimitação reajusta o parque à realidade: legaliza áreas ocupadas e já desmatadas, algumas de duas décadas e outras de poucos anos atrás. Numa tentativa de contemporizar, os parlamentares aprovaram ontem novo projeto de lei que acrescenta 7,2 mil hectares ao Cristalino, não previstos no projeto do Executivo. Na área, há uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). O projeto vai à sanção do governador.

Ambientalistas acreditam que houve acerto entre Maggi (que vetaria e posaria como defensor da Amazônia) e os deputados (que derrubariam o veto), fato negado por ambas as partes.

OESP, 20/12/2006, Vida, p. A25