Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo

Área 342.478,00ha.
Jurisdição Legal Amazônia Legal
Ano de criação 2005
Grupo Proteção Integral
Instância responsável Federal
Documento Decreto - s/n - 20/05/2005

Mapa

Municípios

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municípios - REBIO Nascentes da Serra do Cachimbo

# UF Município População (IBGE 2018) População não urbana (IBGE 2010) População urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área da UC no município (ha) Área da UC no município (%)
1 PA Altamira 113.195 14.980 84.095 15.953.332,80 304.728,14
88,98 %
2 PA Novo Progresso 25.758 7.407 17.717 3.816.203,50 39.564,51
11,55 %

Ambiente

Fitofisionomia

Fitofisionomia (cursos d'água excluídos) % na UC
Contato Savana-Floresta Estacional 83,89
Floresta Ombrófila Aberta 16,11

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Tapajos 11,04
Xingu 88,96

Biomas

Bioma % na UC
Amazônia 100,00

Gestão

  • Órgão Gestor: (ICMBIO) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
  • Tipo de Conselho: Consultivo
  • Ano de criação : 2009

Documentos Jurídicos

Documentos Jurídicos - REBIO Nascentes da Serra do Cachimbo

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de Publicação Observação Download
Decreto s/n Criação 20/05/2005 23/05/2005 Cria a Rebio Nascentes da Serra do Cachimbo, perfazendo uma área aproximada de 342.477,6 hectares. Tem como objetivo preservar os ecossistemas naturais existentes, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades controladas de educação ambiental.  
Portaria 86 Conselho 07/11/2011 08/11/2011 Cria o conselho consultivo da REBIO Nascentes da Serra do Cachimbo  
Portaria 76 Instrumento de gestão - plano de manejo 03/09/2009 04/09/2009 Aprova o Plano de Manejo da Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo.  
Portaria 258 Nucleo gestão integrada 17/04/2017 18/04/2017 Define as unidades de conservação federal compreendidas pela Unidade Especial Avançada nos termos do art. 20 do Decreto no. 8.974, de 24 de janeiro de 2017 (02070.002900/2017-40).  

Documentos de gestão - REBIO Nascentes da Serra do Cachimbo

Tipo de plano Ano de aprovação Fase Observação
Plano de manejo 2009 Aprovado Port 76 ICMBio (DOU 04/09/2009)

Sobreposições

Não existem sobreposições desta Unidade de Conservação com outras Áreas Protegidas.

Principais Ameaças

Desmatamento na Amazônia Legal

Este tema apresenta a análise dos dados de desmatamento produzidos pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que mapeia somente áreas florestadas da Amazônia Legal. Os dados do Prodes não incluem as áreas de cerrado que ocorrem em muitas Unidades de Conservação no bioma Amazônia.

Focos de calor

Área de abrangência do ponto: um foco indica a possibilidade de fogo em um elemento de resolução da imagem (pixel), que varia de 1 km x 1 km até 5 km x 4 km. Neste pixel pode haver uma ou várias queimadas distintas, mas a indicação será de um único foco. Se uma queimada for muito extensa, será detectada em alguns pixeis vizinhos, ou seja, vários focos estarão associados a uma única grande queimada.

Total identificado de desmatamento acumulado até 2000: 4792 hectares
Total identificado de desmatamento acumulado até 2017: 29775 hectares

Características

Histórico

A Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo (RBNSC) é uma unidade de conservação de proteção integral, criada pelo Decreto Federal de 20 de maio de 2005, com uma área de 342.478 hectares. A Rebio protege centenas de nascentes perenes, formadoras de importantes rios das bacias do Xingu e do Tapajós, o que faz com que possua significativa importância ambiental e, também, devido à sua heterogeneidade e peculiaridade ambiental (MMA, 2009).


A RBNSC está localizada no chamado Complexo do Cachimbo, formado pelo conjunto de uma serra e uma chapada, isto que deu origem ao nome "Serra do Cachimbo". Este complexo geomorfológico possui as maiores cotas altimétricas, chegando aos 743m, numa região onde as altitudes comumente não ultrapassam os 200 metros (MMA, 2009).


Além de todos estes aspectos, a Reserva garante a manutenção de grandes blocos de vegetação nativa na região do Arco do Desmatamento, às margens da BR-163, mantendo, inclusive, a diversidade genética das formações florestais que sofrem maior pressão de exploração econômica. Os moradores da área da RBNSC, antes da sua criação, já haviam apresentado uma proposta para o estabelecimento de nove "reservas ecológicas", num total de 119 mil hectares, correspondendo às áreas mais elevadas, onde se localiza a maior parte das nascentes da área (MMA, 2009).


Esta região foi considerada como prioritária desde as primeiras propostas de conservação em larga escala para a Amazônia, em particular no projeto Parques e Reservas do http://uc.socioambiental.org/programas/programa-piloto-para-a-prote%C3%A7%C3%A3o-das-florestas-tropicais-ppg-7">Programa-Piloto para Proteção das Florestas Tropicais Brasileiras - PPG7 (AYRES et alii, 1997). É considerada uma área estratégica na composição do Corredor dos Ecótones Sul Amazônicos, que abrange desde o estado de Rondônia até o estado de Tocantins, um dos cinco corredores da Amazônia definidos pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA, 2009).


Quando foi decretada a criação da Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo, a área transformada em Unidade de Conservação continha uma população residente distribuída em aproximadamente 94 posses. Esta área está sendo ocupada há mais de 15 anos por posseiros que não encontraram espaço para ocupar nos assentamentos do INCRA em Guarantã do Norte e se deslocaram mais para o Norte, ultrapassando a divisa do estado de Mato Grosso, para se instalar na região Sul do Pará (MMA, 2009).


Hoje, a Rebio possui um Conselho Consultivo e Plano de Manejo, estabelecidos pelas Portarias no 86 de 07 de novembro de 2009 e no 76 de 03 de setembro de 2009, respectivamente.



Localização

A Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo está localizada nos municípios de Altamira e Novo Progresso, na extremidade sudeste da Serra do Cachimbo, sul do Pará, adjacente à BR-163 e limitando-se com as Terras Indígenas http://ti.socioambiental.org/pt-br/#!/pt-br/terras-indigenas/4073">Panará e http://ti.socioambiental.org/pt-br/#!/pt-br/terras-indigenas/3952">Menkragnoti. A Rebio encontra-se nas Bacias do Tapajós (10,98%) e do Xingu (89,02%).



Bioma e fitofisionomia

O bioma é amazônico, porém localizado em uma região de transição entre a Floresta Amazônica e o Cerrado (ecótono). Apresenta uma grande riqueza de espécies vegetais em ambientes sub-montanos de Floresta Ombrófila Densa e Aberta, Floresta Estacional e Floresta Aluvionar e extensas áreas abertas com Campinarana, além de possuir manchas de Vegetação Rupestre e Buritizais (MMA, 2009).



Biodiversidade

Dentro da Reserva é possível encontrar algumas espécies da flora e da fauna que são endêmicos à região e espécies ameaçados de extinção.


Segundo a lista do IBAMA/MMA (2003), as seguintes espécies de animais ameaçadas de extinção tem ocorrência nesta unidade de conservação: águia cinzenta (Harpyhaliaetus coronatus), arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus), araçari-de-pescoço-vermelho (Pteroglossus bitorquatus), tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), tatu-canastra (Priodontes maximus), coatá-da-cara-branca (Ateles marginatus), ariranha (Pteronura brasiliensis), jaguatirica (Leopardus pardalis), gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus), gato-maracajá (Leopardus wiedii) e onça-pintada (Panthera onca).



Clima

Na RBNSC ocorre uma transição, do Norte para o Sul, entre o domínio do clima equatorial úmido, isto é, clima de selva, com temperatura e precipitação elevadas durante todo o ano, e o clima tropical, caracterizado por um período seco, com baixas precipitações, isto é, clima de savana ou estacional (MMA, 2009).



Geologia

Na Reserva ocorrem três grandes grupos de classes de solos: Argissolos (22%), Neossolos (68%) e Afloramento Rochoso (10%). Estas classes de solos se alternam em pequenas distâncias, havendo um contato brusco entre solos extremamente férteis, onde afloram as rochas basálticas e graníticas e os extremamente pobres, onde o domínio é arenítico. Evidencia-se a fragilidade dos solos areníticos, quase que 100% formados por quartzo e onde se localizam a maioria das nascentes. Nestes, quando em mínima declividade, formam-se voçorocas, muitas vezes atingindo o nível de base freático (Cadastro Nacional de Unidades de Conservação).



Hidrografia

A área da RBNSC faz parte de 11 grandes Bacias Hidrográficas e caracteriza-se por ser uma área com muitas nascentes, formadoras de importantes rios das bacias do Xingu e do Tapajós que, por sua vez, deságuam no rio Amazonas. As nascentes do interior da Rebio são formadoras dos rios: Água Fria, Flecha, Curuaés, Curuá, Ipiranga, Iriri, Xixé, Anta (Cristalino), Braço Sul, São Bento e Nilana. Os rios Cristalino e São Bento deságuam no rio Tapajós e os rios Água Fria, Flecha, Nilana, Ipiranga, Xixé, Curuaés, Curuá e Iriri são formadores do rio Xingu (Cadastro Nacional de Unidades de Conservação).



Atividades Conflitantes

Atualmente, a exploração das florestas, juntamente com a formação de pastagens são as principais atividades praticadas na região da Reserva e as mais impactantes sobre os recursos naturais. Porém, a área da RBNSC não é identificada como de grande valor para exploração de madeira e as derrubadas se motivam mais pela abertura de pastagens do que pela exploração intensiva de recursos florestais (MMA, 2009).


Grandes volumes de mogno já foram retirados das florestas da RBNSC, o que determinou a abertura da maioria das estradas hoje existentes na área. Foram mapeados 923 km de rede de estradas e caminhos dentro da Reserva, isto implica em uma fragmentação da paisagem aumentando sua vulnerabilidade e fragilidade e facilita o acesso em grande parte da área. A Rebio está entre as 10 UCs federais mais desmatadas na AM legal (INPE, 2015). O desmatamento acumulado até 2013 é de 26401.82 hectares.


Aproximadamente 6% da Reserva já foi transformada em pastagem. Esta é uma atividade que, além do desmatamento, também desencadeia queimadas, introdução de espécies exóticas, assoreamento de cursos d'água, abertura de estradas e de infraestruturas (MMA, 2009).


Com a expectativa do asfaltamento da BR-163 no ano de 2000, correram diversas invasões, acompanhadas pela especulação de terras por grilagem. Também responsável por mais de 10.000 ha indiscriminadamente queimados e pela abertura de pistas de pouso ilegais em local típico de Campinarana. A presença humana na área também tem como consequência a caça e pesca predatória dentro da Reserva (MMA, 2009).


A mineração e a construção de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) são outras atividades que ameaçam a integridade do ambiente dentro da Reserva. Existem duas áreas de garimpo abandonados dentro da área da RBNSC, totalizando uma área de 325 hectares (MMA, 2009). A atividade garimpeira impacta os recursos hídricos (qualidade e quantidade da água) e, consequentemente, toda a fauna associada. Atualmente, existem 16 processos de mineração incidentes na UC. Também existem duas PCHs junto ao limita da UC, no limite Oeste da RBNSC, junto à margem da BR-163 e ao Salto do Curuá, o projeto da PCH Salto Curuá, Município de Novo Progresso, estado do Pará.



Referências
Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. http://www.mma.gov.br/">http://www.mma.gov.br/. Acesso em: 17 de março de 2015.
IBAMA. 2003. Lista das espécies brasileiras ameaçadas de extinção. Instrução normativa no 3 de 27 de maio de 2003. Ministério do Meio Ambiente.
ICV - Instituto Centro de Vida. http://www.icv.org.br/ ">http://www.icv.org.br/ . Acesso em março, 2015.
Ministério do Meio Ambiente. Plano de Manejo da Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo. Brasília, 2009.
PRODES (Projeto PRODES Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite) - Instituto Nacional de Investigações Espaciais (INPE), vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), 2015.

Contato

Gestor da UC: RODRIGO CAMBARA PRINTE (nomeação 26/03/2015)

rebio cachimbo: rebio.cachimbo@icmbio.gov.br

Coordenadoria Regional (ICMBio): Rosária Sena Cardoso Farias
Av. Brigadeiro Veloso, 975 - Bairro Boa Esperança
CEP 68181-030 Itaituba/PA

Notícias

Total de 107 notícias sobre a área protegida REBIO Nascentes da Serra do Cachimbo no banco de dados RSS

Ver todas as notícias dessa área protegida

 

As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.